Lenda de Rabo de Peixe

Há muitos anos atrás, por meados do século quinze, São Miguel começava a povoar-se e pequenos aglomerados de pessoas desenvolviam-se, uns em zonas interiores, outros à beira-mar.Na costa norte da ilha de São Miguel, numa zona plana junto ao mar, vivia um grupo de pessoas que subsistia cultivando a terra e, principalmente, apanhando o abundante peixe que havia no mar.
Um dia uns homens desse lugar estavam sentados à beira-mar e discutiam entre si o nome que haviam de dar ao povoado. Uns queriam um nome e davam as suas razões. Os outros não concordavam e sugeriam outros nomes que lhes pareciam mais apropriados.
Estavam nesta conversa animada quando, olhando para o mar mesmo ali ao pé, viram um rabo de um pequeno peixe a flutuar sobre as águas. Há dois dias atrás acontecera que um grande peixe, cheio de fome, andava à procura de comida e, vendo um peixinho, pusera-se a correr atrás dele. Pressentindo o perigo, o pequeno peixe, para não se deixar comer pelo feroz inimigo, correra de um lado para o outro, desorientado. Apesar de ter tentado escapar, nadando com toda a velocidade e em várias direcções, não tinha conseguido salvar-se. Tinha ficado partido ao meio, indo a cabeça para um lado e o rabo para o outro, acabando por ser trazido para a costa pela corrente.
Um dos homens que tentavam encontrar um nome para o lugar disse para os outros:
- Olhem vocês, é um rabo de peixe. É assim que a nossa freguesia se vai chamar, "Rabo de Peixe".
Todos riram com a ideia estranha, mas ao mesmo tempo ficaram contentes, concordaram por não terem melhor proposta e por ser um nome apropriado para um lugar de pescadores.
O pequeno lugar passou a chamar-se Rabo de Peixe e hoje é uma das maiores freguesias de São Miguel e os seus habitantes, na maioria, são pescadores.

Voltar