Ilha de Santa Maria – Seu nome é em homenagem a nossa Senhora mãe de Jesus. Santa Maria possui uma área de 98 Km² e é conhecida como ilha Laranja, quem nasce em Santa Maria é conhecido como Mariense e sua população é de 5.574 hab., seu maior povoado é Vila do Porto. Santa Maria foi a primeira ilha descoberta e também a primeira a ser povoada em 1439. Em 1493, no regresso da sua primeira viagem à América, o navio de Cristóvão Colombo aporta em Santa Maria, para cumprir uma promessa, feita no alto mar, de ouvir Missa no primeiro lugar em que chegassem e houvesse uma igreja dedicada a Nossa Senhora.

Ilha de São Miguel – Seu nome é em homenagem ao Arcanjo Miguel Miguel que é considerado o chefe dos exércitos celestiais, é a maior ilha do arquipélago e foi a segunda ilha a ser descoberta.Possui uma área de 750 Km² e é conhecida como ilha Verde , seus nativos recebem o nome de Micaelense e sua população é de 133.816 hab. sua capital é a cidade de Ponta Delgada . Seu povoamento se iniciou em 1444. Entre seus principais produtos agrícolas estão a produção de Ananás e a única plantação de chá da Europa o chá da Gorreana. Vila Franca do Campo (primeira capital da ilha) e Ribeira Grande são outras importantes localidades desta ilha.

Ilha Terceira – Recebeu esse nome por ter sido a terceira ilha a ser descoberta, logo após Santa Maria e São Miguel possui uma área de 380 Km², é conhecida como ilha Lilás, os nascidos em seu território recebem o nome de Terceirense e sua população é de 55.923 hab., sua capital é a cidade de Angra do Heroísmo. Em 1450 inicia-se seu povoamento. Por possuir condições geográficas mais adequadas, por ali passou ao longo dos séculos, o grande tráfego de naus e caravelas com as riquezas das índias e do novo mundo em razão disso foi muito ataca por piratas de varias localidades, para protegê-la foi construída a Fortaleza de São João Baptista encrava no Monte Brasil na baía de Angra do Heroísmo a qual foi a primeira povoação dos Açores a ser elevada a cidade,cidade esta que é reconhecida pela
UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade. Durante o período de domínio espanhol em Portugal que durou 60 anos, a ilha Terceira foi a última terra portuguesa a se render ao domínio espanhol. Ainda hoje possui uma importância estratégica e militar e por essa razão tem instalada em seu território uma base militar americana.

Ilha do Pico – Recebeu este nome devido a uma elevada montanha ali existente com 2.352 metros que é a maior de todo Portugal. A ilha do Pico possui uma área de 447 Km² sendo a segunda maior do arquipélago e é conhecida como ilha Cinza, seus nativos recebem o nome de Picoense ou Picaroto. Possui uma população de 14.850 hab. Seu maior povoado é Vila de Madalena do Pico. O Pico é a segunda maior ilha do arquipélago, seu povoamento se iniciou em 1460 com habitantes do Norte de Portugal, suas principais características são as tradições baleeiras que até a metade dos anos 1980 a caça a baleia e o beneficiamento de seus produtos, era uma das principais atividades econômicas desta ilha e também suas vinhas plantadas na rocha vulcânica e seu vinho verdelho, o vinho mais conhecido de todo os Açores.

Ilha do Faial – Esta ilha estaria coberta de uma densa mata de Faias, árvores típicas da região, que ainda hoje são abundantes na ilha, possui uma área de 173 Km², é conhecida como ilha Azul, seus nativos recebem o nome de Faialense e sua população é de 15.629 habitantes. Sua capital é a cidade da Horta. Em 1452 inicia-se seu povoamento. Devido a sua localização estratégica, no inicio do Séc.20 a ilha serviu como base de instalação de cabos submarinos entre a Europa e a América e ainda hoje é porto obrigatório para iatistas de todo o mundo que por ali navegam.

Ilha de São Jorge – Seu nome é em homenagem ao santo guerreiro São Jorge e teria sido descoberta, próximo à data comemorativa deste santo. Ela possui uma área de 246 Km² e a cor por qual é conhecida é a Castanha (ou para nós, brasileiros, Marrom) seu nativo é o Jorgense. Sua população é de 9.473 habitantes. Sua maior concentração habitacional é a vila de Velas. Ela foi povoada entre 1443 e 1460 e ela é conhecida como navio de pedra devido ao seu formato alongado com 50 km de comprimento por apenas 8 km de largura máxima. Seu produto mais famoso é o queijo da ilha, que já conquistou fama internacional, juntamente com outros produtos da indústria de laticínios.

Ilha Graciosa – O nome desta ilha se deu pela linda paisagem que dela se descortinava pelo mar, sendo uma ilha chã (quer dizer muito plana e pouco montanhosa), acharam-na Graciosa. Possui uma área de 61 Km², é conhecida como ilha Branca, seu nativo é o Graciosense. Sua população é de 4.910 hab. e seu maior povoado é a Vila de Santa Cruz da Graciosa. É incerta a data de início de seu povoamento. Com uma economia predominantemente agrícola a ilha Graciosa mantém relação comercial profunda com a Ilha Terceira da qual é muito dependente.

Ilha das Flores – seu nome é devido à grande abundância de flores amarelas (os Cubres) que revestiam toda a ilha e hoje, em especial, pelas muitas hortênsias. Possui uma área de 143 Km². É conhecida como ilha Rosa. Seu nativo é o Florentino. Sua população é de 4.117 hab. e seu maior povoado é Vila de Santa Cruz das Flores. A ilha das Flores é o extremo mais ocidental do Arquipélago e da Europa. Descoberta em 1452 por Diogo de Teive. Somente em 1470, se inicia uma curta experiência de povoamento e que devido a seu extremo afastamento seria abandonado sendo somente retomado em 1504.

Ilha do Corvo – A origem do seu nome se deu em razão do tipo de vegetação e arvoredos que ali existia o que favorecia a criação de muitos pássaros, tendo despertado especial atenção aos descobridores uma colônia de corvos marinhos lá existentes. O corvo é a menor de todas as ilhas do arquipélago e possui uma área de somente 17 Km². A ilha do Corvo é também conhecida por ilha Amarela. Seu nativo é o Corvino. Sua população é de apenas 488 habitantes e seu maior povoado é a Vila do Corvo. Seu povoamento só se concretizou em 1548, após várias tentativas frustradas. O Corvo tem como única atividade comercial a pecuária e a pesca. Devido ao seu isolamento o falar dos corvinos revela, em muitas das suas frases e palavras, as raízes arcaicas de nossa língua.